6 dicas para não cair em golpes durante compras online

Não é novidade para ninguém que a internet já se consolidou como uma das principais ferramentas de compra na rotina dos brasileiros. Segundo dados da Neotrust, o e-commerce brasileiro bateu recorde em 2021, registrando um faturamento de R$ 161 bilhões, uma alta de 27% em relação a 2020.

Ainda mais com a pandemia, as pessoas foram praticamente obrigadas a adquirir novos hábitos de compras.

Com isso, parece que datas comemorativas vão surgindo para termos um motivo para comprar com descontos “incríveis”, como a Black Friday, Dia do Cliente, além de Páscoa, Dia das Mães e tantas outras.

(Não estamos reclamando! Também adoramos descontos!)

E nesta semana, estamos vivendo um turbilhão de anúncios da Semana do Consumidor, que promove diversas ofertas em diferentes segmentos do mercado. Muitas que valem a pena, mas também tem muita gente que se aproveita para aplicar diversos golpes.

Separamos 6 dicas para você não cair em nenhum e poder identificar com facilidade quem está realmente com más intenções:

1) Conheça a reputação da empresa

É muito importante saber o que as pessoas dizem sobre a empresa. O Reclame Aqui, as avaliações do Google e em redes sociais são ótimos pontos de partida. O Procon também oferece uma lista das empresas que recomenda evitar.

2) Identifique as informações de contato

Quanto mais fácil você localizar as informações de contato do comércio eletrônico, menos provável será de você se tornar vítima de um golpe virtual. Atualmente, muitos sites oferecem a função de chat online, que possibilita que você converse com um atendente em tempo real.

3) É batido, mas é válido: SEMPRE desconfie de promoções tentadoras demais

Descontos são sempre bem-vindos. No entanto, preços muito reduzidos podem ser um sinal de tentativa de fraude. Visite outros sites para verificar se o preço do produto está compatível com a realidade.

4) Utilize dispositivos seguros

Nunca realize compras online por meio de computadores e smartphones de outras pessoas ou redes públicas de Wi-Fi. Isso potencializa a chance de ação de pessoas mal-intencionadas.

5) Fique de olho na certificação digital

Lojas virtuais genuínas se preocupam com a segurança de seus clientes e buscam obter certificações de segurança que protegem o compartilhamento de dados. Outra maneira simples de identificar se um site é seguro é verificar se o endereço eletrônico começa com “https” em vez de “http”.

6) Olhe sempre se o endereço do site é válido

Tem muitas empresas que se passam por outras mudando discretamente o endereço do site. Às vezes, um site como americanas.com vira americana.com.

Com mais de 3.000 clientes, a Blockbit é a maior fabricante nacional de soluções de cibersegurança e pode auxiliar você a proteger o seu negócio das mais diversas ameaças, vulnerabilidades e ataques cibernéticos, sejam internos ou externos, genéricos ou direcionados.

Quer saber mais sobre as principais técnicas e ameaças cibernéticas?

Clique aqui e baixe agora mesmo o nosso Guia de Bolso de Cibersegurança!

Leia também: O que é ransomware? Conheça o tipo de ataque virtual que ocupou as manchetes mundiais

Sugestões de leitura